2007-08-06

foto&legenda # 334 (caçador d’almas)

O jogo é simples. Agora, que não te vejo, tu escondes-te e, depois, eu procuro-te, regougou ele, consertando-se sob a sombra, a sua zona de vantagem. Há muito que ele joga este jogo. Primeiro descontrai as vítimas para, num lance, num gesto quase imperceptível, através de um olho só, as transformar em estátua de sal, como deus fez à esposa de Lot.

fotografia © Pedro Gonçalves
legenda © Sérgio Faria

12 comentários:

"Aquilino Ribeiro" disse...

O frade lia meio titubeante, dando-lhe forma conversada sem o conseguir, o formal do sexto mandamento nas suas notas. E rematou. ante Cervantes, de alma aborrecida, mas siderado como a mulher de Loth, depois de mineralizada em sal de cozinha:
- Como vê, no caso de Lucinda, não havia que hesitar. O senhor advogou ali a impureza.

Cervantes (um pouco mais farto de carnes) só foi capaz de esconder a cara. De vergonha por tal ter feito...

pg disse...

Tás maluco ou quê? Este menino é casado e está quase a ser pai outra vez. Sabe lá ele quem é a mulher do Lot. E já agora quem é o Lot?

"Aquilino" disse...

Para, por agora, não dizer mais, Loth é um próximo. E já bastava, porque basta ser "próximo" para só o olhar para a respectiva mulher, e para mais decerto com cobiça, atentar contra um mandamento (acho que é mesmo o 6º...).
No entanto, não resisto a acrescentar que a dita senhora do dito Loth ia a fugir não sei se de Gomorra se de uma outra dessas cidades em que havia pouca vergonha e, tendo a ordem expressa de não olhar para trás, não resistiu (a curiosidade - ainda por cima maliciosa, concuspicente - não só mata os gatos), olhou para aquilo a que deitara costas... e ficou transformada em estátua de sal. Ora toma!

sf disse...

Lot é filho de Harran, que é filho de Taré, que é pai de Abraão. O que significa que Lot é sobrinho de Abraão. Andando para trás uma porrada de gerações, Lot vem da linhagem de Sem, um dos filhos de Noé, com quem tudo recomeçou depois de uma enchurrada monumental que durou quarenta dias. Mas tornemos ao caso de Lot e sua esposa. Um dia deus chegou-se a Abraão e mandou-o ir dar uma curva, sair de casa do pai e mais não sei quê sobre umas bençãos. Ele foi. Abalou com a respectiva consorte, a senhora dona Sara, e levou consigo Lot. Andaram, andaram, andaram, andaram, eles e as ovelhas deles e os pastores, até que chegaram ao Egipto. Temendo ser morto para lhe tomarem a esposa – que, segundo consta, era bem boa –, Abraão e a restante comitiva simularam Sara como irmã, não mulher, do patriarca. Aquilo deu uma confusão do caraças, porque o faraó meteu-se com Sara e deus pôs aquilo tudo de pantanas por o desgraçado do faraó, enganado e sem saber, andar metido com mulher de outro homem. Vai daí, para resolver o imbróglio, o faraó escorraçou Sara, Abraão e toda a sua raça, metendo-os na borda do Egipto com ordem de marcha. «Putas daqui para fora!», clamou, porém seguramente com mais elegância do que esta, porque ele era faraó. Obrigados ao regresso, mais umas caminhadas e começaram a surgir discussões por causa de ovelhas e rebanhos e pastores de Abraão e Lot. Vai daí uma e outro meteram-se à conversa e decidiram que um iria para a esquerda e o outro iria para a direita. Abraão tomou os pastos dos arredores de Canaã. Lot estabeleceu os seus rebanhos nas charneca e lezíria do Jordão, que ainda não jogava no Sporting e era rio apenas, nos pastos dos arrabaldes de Sodoma. Ora acontece que os sodomitas eram useiros e vezeiros em dar o corpo ao manifesto, ignorando as recomendações e ordens divinas. Como se isto não bastasse, uma tribos quaisquer não sei de onde tomaram Sodoma e Gomorra e apossaram-se do patrimónios dos daí, subjugando-os. Sabendo isto, Abraão correu em socorro de Lot, para salvá-lo e para salvar as suas ovelhas e pastores e escravos e prata e ouro e peles e toda a espécie de riquezas que Lot havia acumulado. A partir daqui recordo pouco sobre a história. Recordo que deus apareceu a Abraão e mandou-o cortar o prepúcio dos machos da estirpe, a começar por ele, mania que se perpetuou até hoje – chamam-lhe «circuncisão», mas em termos práticos é a decapitação da manga que cobre o pirilau. Recordo também o episódio em que deus revela não ser amigo do riso, ao censurar o modo como Sara escarnecera o anúncio divino de que, não obstante velha e seca, iria ser mãe. E, por fim, recordo que os sodomitas tornaram à sua vidinha e aos seus maus hábitos, facto que, porque não gostava e não consentia o tipo de contentamento que os gajos praticavam, deixou deus bravo, danado, mesmo. O que o instou a tomar providências. Em consequência informou Abraão que ia abrasar aquilo tudo, Sodoma e Gomorra, gente das cidades incluída. Que iria tudo para o caralho mais velho, embora talvez não dito assim. Abraão, sensato, encarou a criatura colérica e veio com a conversa de não ser justo fazer pagar o justo pelo pecador. Na prática apelou à clemência do senhor dos pastos siderais. Deus atendeu e seguiu-se a barganha. Como motivo para poupar Sodoma ao holocausto, a licitação começou em cinquenta justos, terminou em dez. Havendo dez justo em Sodoma, deus recuaria nos seus propósitos. Seguiu-se a prova. Chegaram dois ou três anjos às portas de Sodoma e Lot acolheu-os em sua casa. Não obstante isto, os vizinhos de Lot, que eram brutos que nem Portas, quiseram chegar-lhes a roupa ao pêlo. Para obviar a cena de cachaporra, Lot propôs à turba as suas duas filhas ainda virgens. Mas a multidão estava mais para malhar os estranhos do que para chegar-se às cachopas, pelo que forçou a entrada em casa de Lot. Do interior, os anjos recolheram Lot, fecharam a porta, cegaram os amotinados no exterior, de tal modo que estes ficaram tipo baratas tontas, sem saber onde raio era o paradeiro da porta que tentavam abrir. E é aqui que começa o desenlace da história. Por não haver justos em número suficiente em Sodoma, aquilo iria tudo para o galheiro. Porém os anjos atenderam a Lot e ordenaram-lhe que ele e os seus arrancassem dali, porque na manhã seguinte iria cair ali uma coisa pior do que a bomba atómica, sob a forma de chuva de fogo de artifício e enxofre. Ou seja, aquela porra iria rebentar toda. Que corressem e não olhassem para trás, foi a ordem, mais do que o conselho, dos anjos. Pois é, iam eles de abalada quando começou o espectáculo da fúria divina. A mulher de Lot, percebendo todo aquele aparato, virou-se para contemplar e testemunhar a ocorrência. Ora, como não está para aturar insolências do tipo e tem mais que fazer, deus transformou a mulher de Lot em salitre, perservando-lhe a forma de gaja. Depois é a continuação da desgraça. Lot acabou num tugúrio, junto com as filhas. Uma noite embriagaram-no e uma consumou o incesto. Na noite seguinte repetiram a manobra e foi a outra. Do que resultou que Lot é pai dos netos. História fodida. Vem na bíblia.

pg disse...

Nada do que eu possa aqui escrever poderá sequer comparar-se com a alegria que senti em ler este texto. Divinal, ou se preferires, do caralho!

pg disse...

...com a alegria que senti AO ler este texto... (antes que o "inquilino" me puxe a orelha).

pg disse...

Que texto genial Sérgio!

zambujal disse...

Isto é que é catecismo!
Então do eufemismo "o faraó meteu-se com Sara" gostei p'ra caraças. Meteu-se com... É o que dá! Rebaldarias...
No en(tre)tanto, talvez ainda venha acrescentar umas coisitas sobre essas cidades de Sodoma e de Gomorra e respectivos cidadãos e cidadãs (ou vice-versa... que aquilo por lá era muito p'ró vice-versa ou vício-em-verso-e-em-prosa).

Santa Tareja disse...

Ah! e já agora não esquecer o tal sexto mandamento, o que diz "não cometerá adultério"!
O que, ligando o 6 com o 9 - que é uma ligação cheia de conotações! -, e levados ambos à séria, esvaziaria igregas e céus.

zambujal disse...

Vê-se mesmo que esta Santa Tareja não tem prática de dedilhar teclados!
O 6º é "não cometerás adultério", o 9º é "não cobiçarás a mulher do próximo" (é assim, não é?), e o que se esvaziaria seriam igrejas e não igregas.

justine disse...

Deliciosa,a adaptação da bíblia para ateus e etc., mas não tarda nada que sejam todos excomungados! E é muito bem feito!

tiago disse...

;)