2008-05-24

foto&legenda # hors-série (das continuações, iii. do not past)

Aquilo que costuma dizer-se é que a arqueologia traz o passado à superfície, entendendo-se a superfície como presente. Mas se, à procura de Maio, levantas e apanhas o chão, reencontras a praia desse mês? Não. Ao abrires passagem até à terra firme, corrida toda a areia, quanto muito encontras o tempo perdido entretanto, um chão pisado muitas vezes, sem que tenha sido evidente como fundamento dos teus passos e dos passos dos outros. É isto o mais exacto que podes servir-te. E não adianta discutir a dimensão das decisões tomadas antes, se pequenas, grandes ou assim assim. O passado, o teu e o dos outros, corre atrás de ti, no teu encalce, adiantando-se ao ritmo do teu avanço e do avanço dos outros, concentrando-se e dissolvendo-se simultaneamente mais do que na tua sombra, na tua carne, sendo-te intimamente estranho. O jogo do tempo é duplo e duplica-te também, em recordações e esperanças, em atraso e envelhecimento, em um só corpo, no qual e pelo qual hás-de viver e continuar a morrer.
fotografia © Tiago Gonçalves
legenda © Eliz B.

2 comentários:

tiago disse...

Eliz B,

ainda fico parvo de cada vez que aqui entro e leio esta legenda. eu, que ando aqui meio estúpido com o ano de 68 na cabeça, nem fui capaz de associar a foto a Dessous les pavés c'est la plage! rrsrrsrss

Eliz B. disse...

Tiago, isto é como o Lavoisier assentou a propósito da natureza. Aqui nada é inventado, apenas reciclado. Tipo jingajoga, baralhar e dar de novo. Uma vergonha, enfim.